Prefeitura de Juazeiro inicia cadastramento de comerciantes informais do Residencial São Francisco

Início Prefeitura de Juazeiro inicia cadastramento de comerciantes informais do Residencial São Francisco

A Prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaurb), iniciou o cadastramento dos comerciantes informais que atuam dentro do Residencial São Francisco.

A atividade é uma das etapas do processo de ordenamento urbano no local. Durante o trabalho aproximadamente 70 barracas receberam um selo de identificação e 45 comerciantes informais foram cadastrados. A ação continuará nos próximos dias até todos os comerciantes serem cadastrados.

“As atividades realizadas no Residencial São Francisco têm como objetivo ordenar as áreas públicas que foram ocupadas pelo comércio informal durante os anos de existência da citada comunidade. A equipe da Semaurb retornará novamente ao local para concluir o processo de cadastro dos comerciantes que não compareceram nesta ação”, explicou o assistente social da Semaurb, Francisco Ribeiro Alves.

Mais organização para o residencial

Durante um levantamento realizado este mês pela equipe de planejamento da Semaurb, em parceria com lideranças comunitárias, foram contabilizadas aproximadamente 100 barracas de lanches e comercialização de outros produtos, instaladas irregularmente em áreas de uso coletivo da comunidade, como praças, calçadas e até a quadra esportiva.

A partir desse trabalho, a Semaurb está ouvindo moradores e comerciantes para estabelecer o ordenamento urbano da comunidade.

“A receptividade dos moradores e comerciantes foi boa, eles puderam conversar, tirar dúvidas e dar sugestões. Após o cadastro ser finalizado, nós vamos fazer o mapeamento da localização dessas barracas, ver a situação de cada uma delas, ver se será preciso realocar algumas, ver a questão do horário de funcionamento e também da poluição sonora. Esse trabalho é importante para termos um diagnóstico do que está acontecendo no residencial e a partir daí vamos analisar a situação de cada barraca e providenciar a regularização de uso de solo”, pontuou a arquiteta urbanista da Semaurb, Sílvia Braga.

Texto: Edísia Santos – Ascom/Semaurb/PMJ

Compartilhar