Cheia do rio: SAAE Juazeiro reforça ações preventivas e monitora a Barragem do São Geraldo

Início Cheia do rio: SAAE Juazeiro reforça ações preventivas e monitora a Barragem do São Geraldo

Cheia do rio: SAAE Juazeiro reforça ações preventivas e monitora a Barragem do São Geraldo

Serviço de Água e Saneamento Ambiental - SAAE

Autor: Comunicação

Cheia do rio: SAAE Juazeiro reforça ações preventivas e monitora a Barragem do São Geraldo

Com a elevação do nível do Rio São Francisco anunciada pela Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), o Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE) de Juazeiro acelerou, nos últimos dias, alguns procedimentos preventivos, na Barragem do São Geraldo, como a manutenção das comportas; desobstruindo e limpando-as, para caso seja necessário fechá-las e também houve […]

11/01/2023 13h53 Atualizado há 4 semanas atrás

Com a elevação do nível do Rio São Francisco anunciada pela Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), o Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE) de Juazeiro acelerou, nos últimos dias, alguns procedimentos preventivos, na Barragem do São Geraldo, como a manutenção das comportas; desobstruindo e limpando-as, para caso seja necessário fechá-las e também houve um grande trabalho preventivo de limpeza nos canais Macarrão e Mulungu, os principais da cidade, afluentes diretos do Rio São Francisco. A vazão do rio deve chegar a 4.000 m³/s já neste final de semana, segundo a Chesf.

A gestora de Obras e Projetos do SAAE, engenheira Luise Chiochetta, diz que todas as medidas preventivas estão sendo tomadas, inclusive planejamento junto às demais secretarias para realização de ações preventivas. “Além das ações preventivas como limpeza dos canais e manutenção das comportas, está sendo realizado o monitoramento dos canais para definir a necessidade ou não do fechamento das mesmas, para evitar retorno da água do Rio São Francisco. No que compete ao SAAE referente ao sistema de água e esgoto, as captações são dotadas de flutuantes que variam os níveis de acordo com o rio, não havendo problemas. Quanto ao esgoto, provavelmente será necessário o desligamento da elevatória do Angari, pois de acordo com dados anteriores, com esse nível ocorre contribuição para dentro do sistema”, disse a engenheira.

Texto: Welington Alves – Ascom/SAAE/PMJ


Facebook Instagram Youtube