Prefeitura disponibiliza número de WhatsApp para receber denúncias sobre focos do Aedes em Juazeiro

Início Prefeitura disponibiliza número de WhatsApp para receber denúncias sobre focos do Aedes em Juazeiro

Prefeitura disponibiliza número de WhatsApp para receber denúncias sobre focos do Aedes em Juazeiro

Secretaria de Saúde

Autor: Comunicação

Prefeitura disponibiliza número de WhatsApp para receber denúncias sobre focos do Aedes em Juazeiro

A Prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Saúde (Sesau), agora disponibiliza um número exclusivo de WhatsApp para receber informações sobre locais suspeitos de focos do mosquito Aedes aegypti. Trata-se do ‘Dengue Zap’, através do número (74) 9 8827-9832, com atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O objetivo é reforçar o combate […]

05/04/2022 8h58 Atualizado há 10 meses atrás

A Prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Saúde (Sesau), agora disponibiliza um número exclusivo de WhatsApp para receber informações sobre locais suspeitos de focos do mosquito Aedes aegypti. Trata-se do ‘Dengue Zap’, através do número (74) 9 8827-9832, com atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O objetivo é reforçar o combate ao mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya.

Sintomas e notificações

A superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau, Caroline Moares, ressalta que a população esteja atenta aos sintomas e busque atendimento na unidade de saúde mais próxima. “Vale ressaltar que o cidadão que apresentar sintomas relacionados à doença, como febre, manchas vermelhas na pele, coceira, dor nos olhos, dor nas articulações junto com edemas, esteja buscando a unidade de saúde mais próxima, seja privada ou pública para que possa ser atendido pelo profissional e seja realizada a notificação da doença e assim solicitada a sorologia específica para que possamos ter acesso a esses registros no banco de dados nacional. Esse procedimento se faz necessário para a real situação do cenário epidemiológico dessas doenças no nosso município, tanto dengue quanto zika e chikungunya”, frisou a superintendente.

A superintendente frisa ainda que essas notificações são fundamentais para qualificar as ações voltadas para prevenção e controle dessas doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti. “Com estes dados fidedignos no sistema e com as suas investigações concluídas e diagnosticadas, será possível ter esse cenário real e conseguir qualificar melhor as ações de combate ao mosquito”, pontuou Caroline Moraes.

Texto: Aucilania Soares – Ascom/Sesau/PMJ


Facebook Instagram Youtube