No Dia Nacional de Combate ao Bullying e a Violência nas Escolas, Secretaria de Educação de Juazeiro apresenta orientações sobre o tema

Início No Dia Nacional de Combate ao Bullying e a Violência nas Escolas, Secretaria de Educação de Juazeiro apresenta orientações sobre o tema

Instituído pela Lei 13.277/2016, nesta quinta-feira (07) é celebrado o “Dia Nacional de Combate ao Bullying e a Violência nas Escolas”, com o objetivo de alertar e chamar a atenção da sociedade sobre o problema social e contribuir para a conscientização acerca do tema. A Secretaria de Educação e Juventude (Seduc) de Juazeiro, que possui um Núcleo de Atendimento Psicossocial e Inclusão (Napsi) e que trata dessa e de outras temáticas, traz orientações sobre como identificar e proceder em casos de bullying, e ressalta a importância da atuação da sociedade frente ao problema social.

Integrante do corpo de psicólogos da Seduc, Taciana Albuquerque, destaca que o bullying é uma forma de violência que ocorre em diversos espaços de socialização, incluindo a escola e a família. Ainda de acordo com a profissional, geralmente, as crianças e os adolescentes que sofrem com o bullying, seja na forma de intimidação física ou psicológica, apresentam características como retraimento social, baixo rendimento escolar, mudanças no apetite, de humor e também podem apresentar comportamento agressivo.

“Após a identificação desses sintomas, é importante que a família e a escola estejam unidas na tentativa de resolver o problema, o que inclui a devida orientação aos agressores e suas famílias, às vítimas e suas famílias, a fim de que o ambiente se torne mais saudável”, explicou Taciana.

A não resolução dos conflitos decorrentes do bullying pode acarretar diversos problemas emocionais para a vítima, como a baixa autoestima, ansiedade e, em muitos casos, a depressão. A não intervenção também pode favorecer a evasão escolar por parte das crianças e adolescentes, que passam a não enxergar mais na escola um ambiente acolhedor e propício à aprendizagem.

Ações

Por meio do Napsi, a Seduc realizou no ano passado diversos momentos formativos virtuais com gestores escolares e coordenadores pedagógicos para o enfrentamento ao problema social. Com o retorno presencial das aulas, está sendo organizado um cronograma de visitas às escolas municipais com o objetivo de promover um debate sobre o tema, com a participação das famílias e dos estudantes, a fim de reforçar a importância de manter uma cultura de paz nas escolas e, consequentemente, na comunidade.

A iniciativa corresponde a um dos objetivos do Programa de Combate à Intimidação Sistemática, que orienta a capacitação de docentes e equipes pedagógicas para a implementação das ações de discussão, prevenção, orientação e solução do problema.

Legislação e bullying

No Brasil, em 2015 foi instituído o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (bullying), que classifica o problema social como “todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas”, conforme dispõe a lei 13.185/2015.

Texto: Brena Souza – Ascom/Seduc/PMJ

Compartilhar