Mutirão de combate ao Aedes aegypti chega ao bairro Castelo Branco neste sábado

Início Mutirão de combate ao Aedes aegypti chega ao bairro Castelo Branco neste sábado

Neste sábado (16) mais um bairro de Juazeiro vai receber o mutirão de combate ao mosquito Aedes aegypti. Os agentes de endemias, da Prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Saúde (Sesau), vão estar no Castelo Branco a partir das 8h fazendo visitas domiciliares e trabalho educativo com a população para evitar a proliferação do Aedes.

Cerca de 80 servidores vão fazer, nas visitas domiciliares, o levantamento dos índices e tratamentos dos depósitos que contenham água para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. De acordo com o supervisor do Núcleo de Endemias da Sesau, Diego Alves, é necessário que a população faça sua parte, primeiro permitindo a entrada dos agentes de endemias para fiscalização das residências. “Nesse intuito, solicitamos que a comunidade abra suas portas para que os nossos servidores façam a vistoria e passem todas as orientações aos moradores”, destacou Diego Alves.

O bairro possui cerca de 750 imóveis e o objetivo é que os servidores façam visitas em todos. O mutirão deverá ocorrer durante toda a manhã. A concentração da equipe será na Escola Helena Celestino Magalhães, próximo à praça principal do bairro Castelo Branco.

Redução das notificações de arboviroses

Desde que foi intensificado o trabalho dos agentes de endemias, houve uma redução no número de notificações, principalmente dos bairros e comunidades onde foram realizados os mutirões. O ‘Dengue Zap’ recebeu em todo o mês de junho, 16 notificações para atendimento. Em julho, até o momento, não houve nenhuma solicitação de fiscalização para possível foco do mosquito.

“85% dos focos encontrados em todo o município estavam dentro das residências, nos depósitos mais comuns, como baldes, caixa d’água no chão e tambores. Pedimos que as pessoas cubram esses locais que armazenam água. Uma atitude simples pode evitar que muitas pessoas fiquem doentes”, enfatizou o supervisor do Núcleo de Endemias.

Texto: Amanda Franco – Ascom Sesau PMJ

Compartilhar

Facebook Instagram Youtube