Documentário sobre trajetória de Manuca Almeida será lançado às 18h desta sexta-feira, dentro da programação do Festival Edésio Santos

Início Documentário sobre trajetória de Manuca Almeida será lançado às 18h desta sexta-feira, dentro da programação do Festival Edésio Santos

Documentário sobre trajetória de Manuca Almeida será lançado às 18h desta sexta-feira, dentro da programação do Festival Edésio Santos

Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes - SECULTE

Autor: Comunicação

Documentário sobre trajetória de Manuca Almeida será lançado às 18h desta sexta-feira, dentro da programação do Festival Edésio Santos

O lançamento do vídeo documentário ‘Eu sou o que sou’, que narra a trajetória do multiartista Manuca Almeida será lançado às 18h desta sexta-feira (16), dentro da programação do Festival Edésio Santos da Canção, na Orla II de Juazeiro. O material é fruto do Trabalho de Conclusão de Curso do jornalista André Calixto e o […]

16/12/2022 9h33 Atualizado há 2 meses atrás

O lançamento do vídeo documentário ‘Eu sou o que sou’, que narra a trajetória do multiartista Manuca Almeida será lançado às 18h desta sexta-feira (16), dentro da programação do Festival Edésio Santos da Canção, na Orla II de Juazeiro. O material é fruto do Trabalho de Conclusão de Curso do jornalista André Calixto e o lançamento acontece no dia em que Manuca completaria 59 anos. O apoio é da Prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes (Seculte).

No documentário, André Calixto mergulhou fundo na trajetória de Manuca Almeida, que faleceu aos 53 anos, no ano de 2017. A narrativa do vídeo é baseada na família, nos amigos e nos parceiros. O material conta com importantes contribuições de pessoas que conviveram com Manuca e muitos nomes de renome nacional, como Margareth Menezes, Xangai, Tato (Fala Mansa), Targino Gondim, Alexandre Leão e o ator Paulo Betti, além de artistas locais como João Sereno, Mauriçola, entre outros.

Nascido em Sergipe e radicado em Juazeiro, Manuca era compositor, poeta, ator, escritor e artista multiplural. Sua marca era a irreverência, como explica o autor do vídeo documentário. “Manuca era um artista completo, um ser inigualável, inimitável, amigo, parceiro, pessoa do bem que sempre levou por onde quer que andasse, o nosso jeito criativo no meio artístico, musical, poético e futebolistico, o cara que simplesmente fez o “marqueting”, um dos dialetos criados por Manuca, o qual através da sua irreverência foi e continua sendo o maior propagandista da nossa cultura e arte para o Brasil e o mundo inteiro”, descreveu o jornalista André Calixto.

Esse é o primeiro trabalho desse tipo após o falecimento de Manuca, esse ícone que que chegou até a ganhar um Grammy de melhor música brasileira em 2001, com “Esperando na Janela”, composta em parceria com Targino Gondim e Raimundinho do Acordeon. André Calixto aproveita a oportunidade para convidar a população para o lançamento do documentário e agradece pelo apoio da Prefeitura de Juazeiro. “Eu quero agradecer à gestão Suzana Ramos, por meio da Seculte por apoiar a divulgação desse importante documentário e convidar a população de Juazeiro para prestigiar o lançamento hoje, às 18h“, concluiu.

Ascom/PMJ


Facebook Instagram Youtube